A corrupção de Estado nas lentes de Bakunin

Felipe Corrêa   Novamente, é possível constatar a acuidade e a atualidade da teoria do Estado de Bakunin.[1] Nesta conjuntura, ela pode ser utilizada, dentre outras coisas, para subsidiar análises críticas à corrupção e apontar saídas aos dilemas surgidos em relação ao Estado brasileiro.   Segundo sustenta Bakunin, o Estado, este instrumento das classes dominantes,…

Para refletir: crime histórico e farsa política no México (D.F), parte 2: uma crítica a Diego Rivera e aos artistas e intelectuais stalinistas

Bruno Lima Rocha Impressiona a capacidade artística e estética de Diego Rivera assim como toda a tradição muralista mexicana. Mas tal como Pablo Neruda e Jorge Amado dentre vários artistas de filiação estalinista, é preciso separar a obra dos homens e mulheres que as produzem. Rivera comete uma série de crimes históricos em seus murais.…

Para refletir: crime histórico e farsa política no México (D.F), parte 1: o apagamento da memória de Ricardo e Enrique Flores Magón, do PLM e do papel estratégico do anarquismo na Revolução Mexicana

Bruno Lima Rocha, 25 de fevereiro de 2016 Introdução: Para refletir. No excelente Museu Nacional de História do México há uma série de murais representando a Revolução Mexicana com os sindicatos organizados com bandeiras vermelhas e negras além de estandartes do mutualismo. Tem referências soltas a Ricardo Flores Magón e seu irmão Enrique, nada de…

Os Libertários – documentário de imagens, as lutas operárias sob orientação e hegemonia anarquista na São Paulo do primeiro quarto do século XX

10 de janeiro de 2016, Bruno Lima Rocha Na década de ’80 do século XX, a formação política de base anarquista retomava a memória das Greves Gerais de 1917, da Insurreição Operária de 1918, da formação do Partido Comunista Anarquista de 1919, dos congressos da Confederação Operária Brasileia, dentre outros episódios que demonstravam a presença…

As origens do movimento operário alegretense – a Fronteira que tem tradição de luta de classes para além da adesão a simbologia do latifúndio escravagista

09 de janeiro de 2016, do editor Anderson Corrêa é professor universitário, historiador radicado na fronteira oeste (especificamente no município do Alegrete) e um militante político e social com profundas raízes anarquistas. Este artigo de viés acadêmico que estamos divulgando traz uma exaustiva pesquisa documental que, associada às categorias e forma de pensar apropriadas, aponta…