Coletânea crítica ao totalitarismo stalinista e a tentativa de normatizar o absurdo – artigo de pensamento libertário

07 de Outubro de 2019, Bruno Lima Rocha Apresentação Existe uma nova onda na internet brasileira, especificamente o uso político da rede, que é interessante e ao mesmo tempo merece um alerta. Há um esforço considerável e reconhecido para normalizar os crimes de Stálin, e não só, de recuperar toda a experiência do Leste Europeu…

A corrupção de Estado nas lentes de Bakunin

Felipe Corrêa   Novamente, é possível constatar a acuidade e a atualidade da teoria do Estado de Bakunin.[1] Nesta conjuntura, ela pode ser utilizada, dentre outras coisas, para subsidiar análises críticas à corrupção e apontar saídas aos dilemas surgidos em relação ao Estado brasileiro.   Segundo sustenta Bakunin, o Estado, este instrumento das classes dominantes,…

Para refletir: crime histórico e farsa política no México (D.F), parte 2: uma crítica a Diego Rivera e aos artistas e intelectuais stalinistas

Bruno Lima Rocha Impressiona a capacidade artística e estética de Diego Rivera assim como toda a tradição muralista mexicana. Mas tal como Pablo Neruda e Jorge Amado dentre vários artistas de filiação estalinista, é preciso separar a obra dos homens e mulheres que as produzem. Rivera comete uma série de crimes históricos em seus murais.…

Para refletir: crime histórico e farsa política no México (D.F), parte 1: o apagamento da memória de Ricardo e Enrique Flores Magón, do PLM e do papel estratégico do anarquismo na Revolução Mexicana

Bruno Lima Rocha, 25 de fevereiro de 2016 Introdução: Para refletir. No excelente Museu Nacional de História do México há uma série de murais representando a Revolução Mexicana com os sindicatos organizados com bandeiras vermelhas e negras além de estandartes do mutualismo. Tem referências soltas a Ricardo Flores Magón e seu irmão Enrique, nada de…